A MESTRA ASCENSA KUAN YIN

Padrão
* Texto retirado do material extra do curso de Magnified Healing®

 

Deusa da Misericórdia, Chama da Mãe e Mediadora da Misericórdia, Membro do Conselho Kármico, servindo ao sétimo Raio, Antecessora de Saint Germain como Chohan do Sétimo Raio, Madrinha das Evoluções da China.

Kuan Yin

Kuan Shih Yin Tzu Tai, significa ”a soberana que se preocupa com os sons do mundo”. De acordo com a lenda, ela parou no umbral do céu para ouvir os clamores do mundo. Kuan Yin já era adorada na China antes do advento do Budismo, passando a ser adotada pelos budistas como uma encarnação de Avalokitesvara (Padmapani), cuja intercessão tem sido invocada ao longo dos séculos por devotos que entoam as seis sílabas místicas “OM MANI PADME HUM”. No Ocidente, acabou por se tornar conhecida como a Deusa da Misericórdia.

Segundo a tradição, Kuan Yin teria encarnado como a terceira filha de Miao Chuang Wang, identificado como sendo da dinastia Chou, governante de um reino do norte da China, por volta do ano 696 A.C.

De acordo com a lenda, ela se determinara a seguir uma vida religiosa, tendo se recusado a casar, apesar das ordens do pai, e das súplicas de seus amigos. Entretanto, foi-lhe finalmente permitido ingressar no Convento de Freiras do Pássaro Branco, em Lungshu Hsien. Aí, por ordens do seu pai, foi submetida às mais árduas tarefas, que de forma alguma enfraqueceram o seu zeloso amor por Deus.

Enraivecido pela sua devoção, Miao Chuang Wang (seu pai), ordenou que fosse executada, mas quando a espada a tocou, partiu-se em mil pedaços. Seu pai então ordenou que fosse asfixiada, mas quando sua alma deixou seu corpo, e desceu até o inferno, transformou-o num paraíso. Transportada numa flor de lótus até a Ilha de P’ootoo, próxima a Nimpo, ali viveu durante nove anos, curando os enfermos, e salvando marinheiros do naufrágio.

Kuan Yin

Certa vez, quando soube que seu pai estava muito doente, cortou um pedaço da carne de seus braços, e usou-a como um remédio que lhe salvou a vida.

Em gratidão, ele ordenou que uma estátua fosse erigida em sua honra, comissionando ao artista que a representasse com “olhos e braços completamente formados”. Entretanto, o artista compreendeu mal, e até hoje Kuan Yin algumas vezes aparece representada com “mil braços e mil olhos”, sendo capaz, dessa forma, de olhar e cuidar de todo o seu povo.

Kuan Yin fez o voto de bodhisattva, de trabalhar junto às evoluções deste planeta e deste sistema solar para lhes mostrar o caminho dos Ensinamentos dos Mestres Ascensos. Foi antecessora de Saint Germain como Chohan do Sétimo Raio, cujo cargo ocupou durante dois mil anos, e serve como representante do Sétimo Raio no plano etérico sobre a cidade de Beijing, na China, desde onde focaliza a chama da misericórdia e do perdão para os filhos da antiga terra de Chin, e as almas da humanidade.

A chama da misericórdia é o meio pelo qual o Cristo intercede em prol daqueles que não conseguem suportar o impacto total do seu próprio retorno do Karma, requerendo desta forma, um intermediário que se interponha entre sua criação humana e a Grande Lei.

Num ditado comunicado por intermédio de Elizabeth Clare Prophet, no dia 10 de Abril de 1974, Kuan Yin descreveu a ação da chama da misericórdia que ela personifica: “Supliquei por muitos de vós diante dos senhores do Karma, para que tivésseis uma oportunidade de reencarnar, de nascer perfeitos, sem o grande karma de ser aleijado ou cego de nascimento, que alguns de vós merecíeis. Intercedi com a chama da misericórdia a vosso favor, de forma que pudésseis buscar, na liberdade de uma mente e de um corpo sadios, a Luz da lei… A ação do perdão representa a colocação do Karma de lado, a diminuição do Karma por um período de tempo, para dar à pessoa a oportunidade de encontrar a Deus, de encontrar ao Espírito Santo, de abraçar o Cristo como Salvador”.

É assim que Kuan Yin ensina a humanidade não ascensa a invocar a lei do perdão, e explica que quando o indivíduo alcança uma certa maestria na Senda, então a Lei da Misericórdia lhe faz retornar o “pecado” que fora deixado de lado, de forma que o indivíduo possa experimentar alegria de equilibrar cada jota e til da energia mal qualificada, cumprindo, portanto, a lei do seu próprio ser.

Sobre Luciana Sant'Ana Prado

Fundadora e terapeuta do Instituto Alma Consciente. Graduada em instituições internacionais na Espanha, China e Brasil. Atuação na rede de saúde pública e privada através das medicinas Chinesa, Ayurvédica, Botânica e demais terapias naturais tradicionais, contemporâneas e modernas. Experiência em Acupuntura, Massoterapia, Iridologia, Reiki, Aromaterapia, Florais e diversas terapias naturais em crianças, adolescentes, adultos, idosos, gestantes e portadores de necessidades especiais. Voluntária desde 2005 em projetos sociais e formada em diversos cursos livres na área da saúde e terapias energéticas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s