Vacina do Sapo através da Rã Phyllomedusa Bicolor (Kambô)

Padrão

kamboO sapo verde

Phyllomedusa bicolor ou Kambô é a maior espécie do gênero da família Hylidae que habita quase todos os países amazônicos, como as Guianas, Venezuela, Colômbia, Peru, Bolívia e Brasil. São encontrados principalmente no período das chuvas, sob árvores próximas aos igarapés, onde coaxam por toda noite, anunciando chuva no dia seguinte. Mas, é na madrugada, que são “colhidos” a fim de retirarem sua secreção cutânea, para fazer a “vacina do sapo”.

O que é:

Kambô é uma rã habitante da Amazônia cuja secreção é extraída e usada como remédio, de mesmo nome do animal. Capaz de combater e eliminar os distúrbios de saúde do ser humano, o kambô vem sendo usado há milhares de anos pelos índios Katukinas.

Segundo os índios, aqueles que recebem a aplicação do kambô atraem bons fluidos, e passam por uma sensação de limpeza, leveza, tranquilidade, bem-estar e paz interior. Ocorrem, também, mudanças nos campos físico, energético, espiritual e emocional. O kambô serve, ainda, para desentupir as veias do coração, fazendo circular emoção, sentimento e amor.

vacina_do_sapo2

Uso Tradicional

Tomar a vacina do sapo é uma prática antiga com fins medicinais, muito difundida entre os povos indígenas do Brasil e do Peru. A finalidade mais procurada é “tirar a panema”, ou seja, afastar a má sorte na caça e com as mulheres.

Existem variações nos rituais e nomes dados ao sapo verde. Na história antiga dos Kaxinawá, o sapo kampu (nome utilizado pelo povo Kaxinawá),era o chefe do “nixi pëi”, bebida preparada com o cipó Banisteriopsis caapi. Já os Katukina, nunca o matam, pois dizem que poderão ser picados por cobra, pois seu veneno é retirado do sapo kambô.

Para os Ashaninka, quando o sapo wapapatsi canta perto da casa, o dono tem que apanhá-lo, queimar os pulsos e dormir. Bem cedo, tem de preparar um mingau bem forte e bater nas costas do sapo, para ele soltar o veneno que será passado sobre a pele. Entretanto, o remédio somente terá resultado, se o caçador seguir as regras.

A vacina do sapo é considerada um remédio para muitos males pelas populações tradicionais do vale do Juruá, curando desde amarelão até dores em geral. Hoje, a vacina do sapo é utilizada também por seringueiros e vem sendo aplicada por alguns curandeiros nas cidades de Cruzeiro do Sul/AC e Rio Branco/AC.

O efeito da vacina do sapo é curto, porém muito forte: ”uma forte onda de calor, que sobe pelo corpo até a cabeça. A dilatação dos vasos sanguíneos parece provocar uma circulação mais veloz do sangue, deixando o rosto vermelho e, seguida fica pálido, a pressão baixa, podendo provocar náuseas, vomito e/ou diarréia. Durando cerca de 15 minutos. Sensação desagradável, que aos poucos retorna a normalidade, e a pessoa se sente mais leve, como se tivesse feito uma boa limpeza, causando uma maior disposição”.

Pesquisa internacional

Pesquisas científicas vem sendo realizadas sobre as propriedades da secreção de phyllomedusa bicolor desde da década 80 ou antes. O primeiro a “descobrir” as propriedades da secreção para a ciência moderna, foi um grupo de pesquisadores italianos. Amostras das rãs foram levadas do Peru para um pesquisador nos EUA. Pesquisador que já tinha pesquisado e patenteado anteriormente substancias da râ Epipedobates tricolor, utilizada tradicionalmente pelos povos indígenas do Equador.
Também foram publicadas pesquisas sobre as propriedades da secreção por pesquisadores franceses e israelitas. Mais recente, a Universidade de Kentucky (EUA) está pesquisando (e patenteando) uma das substâncias encontradas na secreção do sapo em colaboração com a empresa farmacêutica Zymogenetics.

kambo1

Resultados surpreendentes

As pesquisas revelaram que a secreção de phyllomedusa bicolor contém uma serie de substâncias altamente eficazes, sendo as principais a dermorfina e a deltorfina, pertencentes ao grupo dos peptídeos. Estes dois peptídeos eram desconhecidos antes das pesquisas de phyllomedusa bicolor. Dermorfina é um potente analgésico e deltorfina pode ser aplicada no tratamento da Ischemia. (um tipo de falta de circulação sanguínea e falta de oxigênio, que pode causar derrames).

As substâncias da secreção do sapo também possuem propriedades antibióticas e de fortalecimento do sistema imunológico e ainda revelaram grande poder no tratamento do mal de Parkinson, aids, câncer, depressão e outras doenças.

Deltorfina e Dermorfina hoje estão sendo produzidos de forma sintética e os laboratórios podem adquirir-las através de compra on-line.

Fonte:

http://www.kambo.com.br/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Vacina_do_sapo

http://www.amazonlink.org/biopirataria/kampu.htm

Sobre Luciana Sant'Ana Prado

Fundadora e terapeuta do Instituto Alma Consciente. Graduada em instituições internacionais na Espanha, China e Brasil. Atuação na rede de saúde pública e privada através das medicinas Chinesa, Ayurvédica, Botânica e demais terapias naturais tradicionais, contemporâneas e modernas. Experiência em Acupuntura, Massoterapia, Iridologia, Reiki, Aromaterapia, Florais e diversas terapias naturais em crianças, adolescentes, adultos, idosos, gestantes e portadores de necessidades especiais. Voluntária desde 2005 em projetos sociais e formada em diversos cursos livres na área da saúde e terapias energéticas.

»

    • Olá Carlos,

      Primeiramente gostaria de agradecer o interesse pelo post e o contato conosco.

      Quanto a eficiência da vacina em relação a Cura ou Controle do Diabetes, não posso te fornecer uma afirmação científica sobre isso. A vacina faz parte de uma tradição antiga de Xamãs e Pajés, na qual não existe a necessidade de estudos científicos como a nossa sociedade exige para aplicarem uma técnica na população. Portanto cientificamente, não posso te dar uma resposta afirmativa quanto a isso.

      Mas, partindo do ponto de vista da tradição da técnica, se a vacina age sobre todo o seu organismo, ativando o fortalecendo o seu sistema imunológico, os órgãos e seu sitema energético, agiria tambèm sobre a diabetes, assim como outras doenças.

      Mas, volto a repetir, do ponto de vista da tradição e não científico.

      Se você tem interesse pela técnica, sugiro procurar um local sério que aplique a técnica e conversar melhor com eles sobre o assunto.

      Outra sugestão é entender o processo da diabetes, porque ela ocorre no individuo, o que aconteceu quando essa diabetes foi desenvolvida, entender de fato a causa dela para esse individuo, ir até a raiz da questão e ai sim ela poderá ser solucionada.

      Se tiver interesse, entre em contato conosco por email institutoalmaconsciente@gmail.com ou telefone (11 98753-8964 / 11 2849-0636) e poderemos conversar mais sobre o assunto.

      Obrigada mais uma vez,

      Luciana

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s