Trigger Points

Padrão

Nosso organismo é formado por mais ou menos 60% de massa muscular. Junto com os ligamentos, os músculos são responsáveis por manter as estruturas ósseas em funcionamento harmônico e  por praticamente todos os movimentos do corpo. Portanto, por serem exigidos o tempo todo, encontram-se sujeitos a desgastes, fadigas e lesões.

Os músculos executam movimentos voluntários e involuntários. Alguns deles encontram-se em constante contração (mínima contração, na realidade) para que possam responder de imediato quando solicitados, como é o caso de alguns músculos da mastigação.

Quando nos movemos também estamos realizando uma contração voluntária. Quando o músculo contrai involuntariamente  é porque  ele entrou em estado de espasmo.

Uma outra condição de contração involuntária são os pontos de gatilho, conhecidos na língua inglesa como : “trigger points” , que são nódulos contraídos, em bandas musculares tensas,  de 2 a 5mm de diâmetro, que podem ser encontrados nos músculos e fáscias. Eles comumente aparecem em indivíduos que possuem dor miofascial.

Os pontos de gatilho podem estar latentes ou ativos. Quando estão latentes, não provocam dor espontânea, apenas quando manipulados. Quando ativos, provocam um padrão de dor referida quando fazemos uma digitopressão, ou seja, quando pressionamos o ponto gatilho com o dedo, o indivíduo sente dor em outro local (dor referida). Já foram mapeadas as zonas de dor referida dos pontos de gatilho.

graphic_trigger_points_rear

Quando presente na musculatura cervical, promovem quadros de dor semelhantes às dores de cabeça ou até mesmo simular dor na articulação temporomandibular.

Ë importante estar atento a este padrão de dor para não confundir com dor neuropática. Se estiver em uma área onde esteja comprimindo um plexo nervoso, como o plexo braquial, pode provocar dor nas costas, ombros, braços e mãos.

“O padrão de dor referida é que o distingue de outras dores musculares”.

Existe uma condição dolorosa que assemelha-se a ele que são os pontos sensíveis.

Qual a diferença?

A diferença é que os pontos sensíveis não provocam dor referida. Pelo contrário. Quando executa-se a digitopressão em um ponto sensível, o indivíduo responde com um sinal típico de pulo e afastamento da pressão conhecido na língua inglesa como  “jump sign”.

Porque os medicamentos relaxantes musculares não resolvem o problema?

A medicação deveria  ser forte o suficiente para parar todas as contrações involuntárias dos músculos, consequentemente o coração não suportaria.

Como tratar?

Para o tratamento, deve-se executar pressão digital no trigger point (em média 4kg) para descomprimir a musculatura e interromper o ciclo de dor.

Outras formas de tratá-lo incluem: acupuntura, ultrasom, eletroestimulação, spray e infiltração anestésica.

Alguns sinais e sintomas são indispensáveis para o diagnóstico de pontos-gatilho como:

  • Dor referida (miogelose e tender points apresentam dor local);
  • Nódulos sensíveis e papáveis, mas não é tão bem delimitado quanto a miogelose;
  • Banda tensa (quando bem localizada aponta a localização mais provável do ponto-gatilho).

Fisiopatologia

A fisiopatologia da formação desses pontos dolorosos ainda não está bem explicada, mas algumas teorias ajudam a entender a possível causa de suas formações. Duas teorias se destacam: a teoria dos botões sinápticos disfuncionais e a teoria da crise energética.

A primeira teoria prega que, por algum motivo, os botões sinápticos liberam excessivamente catecolaminas, despolarizando a membrana pós-sináptica, levando a uma estado de contração local sustentada.

A segunda teoria prega que num processo onde se há ruptura do retículo sarcoplasmático, há também liberação de cálcio que, por sua vez, entra em contato com as proteínas contráteis levando a um estado de contração local sustentada.

A circulação sanguínea normal é capaz de reverter os dois processos citados anteriormente, mas numa circulação deficitária, os processos se intensificam gerando um círculo vicioso. Aceita-se que as duas teorias possam, conjuntamente, explicar a formação dos pontos-gatilho.

Problemas trazidos pelos Pontos-gatilho

Dentre os problemas trazidos pelos pontos-gatilho está a perda de força pela relação desses pontos com a diminuição de sarcômeros relacionados. Também podem levar a perda de flexibilidade, o que levará à diminuição da amplitude de movimento da articulação envolvida com a musculatura.

A hipomobilidade de uma articulação levará a hipermobilidade de outra, levando a um processo de compensação pelo sistema musculoesquelético. Como as articulações envolvidas não apresentam sua cinemática normal, a propriocepção também pode estar prejudicada. Além da sintomatologia da dor que pode ser confundida com outras síndromes clínicas como: cefaleias, dores ciáticas, dores carpais, etc.

Fonte:

http://www.tratamentodaatm.com.br/trigger-points-pontos-de-gatilho-dor/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s